Escolas estaduais da Capital recebem exposição do Museu da História da Medicina de MS

Campo Grande (MS) – O Estado de Mato Grosso do Sul completa 40 anos em 2017 e, como parte das comemorações, a Secretaria de Estado de Educação (SED) está realizando o projeto “MS 40 anos: Narrativas de Memórias e Identidades em Museus”, para fomentar nos estudantes a construção e socialização do conhecimento, favorecendo o sentimento de pertencimento e o respeito à história do lugar em que vivem.

Durante o mês de junho, o Museu da História da Medicina de Mato Grosso do Sul está levando às escolas estaduais de Campo Grande uma exposição de materiais e fotografias que possibilitam aos estudantes o contato com instrumentos cirúrgicos, lentes e aparelhos, incluindo um monitor cardíaco e um desfibrilador do início do século passado. Nesta quinta-feira (8.6), a exposição passou pela Escola Estadual Professor Henrique Cyrillo Corrêa.

Regina (de branco) com Stela Vargas, diretora técnica do museu.

De acordo com a diretora pedagógica do museu, Maria Regina Martins de Barros, o principal objetivo da exposição é despertar a curiosidade dos estudantes, despertando um sentimento de amor de Medicina e mostrando que a carreira é possível para todos. “O papel do museu é contar a história da medicina e dos primeiros médicos do Estado. Para isso, trouxemos fotos dos primeiros hospitais, da primeira turma formada em Mato Grosso do Sul e da própria formação do museu”, explicou.

Desfibrilador e lentes, peças mais populares entre as crianças.

Mariana Barbosa de Souza Ribeiro, do 2º ano do ensino médio ficou muito animada em observar os objetos e perceber as diferenças entre o passado e o presente e os avanços da medicina através do tempo. “Esta exposição estimula as pessoas que querem cursar Medicina e até os que não têm esse interesse, mas que podem adquirir aqui um conhecimento para a vida”, afirmou a estudante.

Para Mariana, a ação pode reforçar o desejo de seguir carreira na Medicina.

A ação na EE Prof. Henrique Cyrillo incluiu uma palestra ministrada pelo neurocirurgião Kleber S. M. Vargas para os estudantes do 9º ano do ensino fundamental.

A exposição, que já esteve na EE Maestro Heitor Villa Lobos, passará este mês pelas escolas estaduais Antônio Delfino Pereira, João Carlos Flores, Luísa Vidal Borges Daniel, Marçal de Souza Tupã-Y, Orcírio Thiago de Oliveira, Manoel Bonifácio Nunes da Cunha e Professora Maria Rita de Cássia Pontes Teixeira.  

Sobre o museu

O Museu da História da Medicina foi instalado na Rua da Liberdade, 512, local em que foi projetada a primeira sociedade da classe médica no Estado, a Academia de Medicina de Mato Grosso do Sul. De acordo com a diretora pedagógica da Academia de Medicina, Maria Regina Martins de Barros, ali também foram realizadas as primeiras aulas do então Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Mato Grosso, embrião da atual Universidade Federal.

O espaço reúne acervo bibliográfico tridimensional e conta com peças de consultórios antigos, materiais e equipamentos utilizados pelos primeiros profissionais em Mato Grosso do Sul, além de publicações, fotos, aparelhos, livros e objetos com conteúdo histórico.

O museu tem o objetivo de organizar a trajetória, servir como um bem cultural e de interação para a sociedade e fazer um resgate do início da medicina, destacando tanto os pioneiros no ramo, quanto os primeiros serviços implantados, primeiras especialidades, entre outras informações relevantes não só para a classe médica, como a toda população do Estado.

Para alcançar o sonho de documentar a história da medicina no Estado, o museu conta com a classe profissional e as instituições médicas para reunir materiais antigos e informações que possam contribuir para esse acervo e então, para o resgate histórico da medicina. Portanto, aceita também doações de equipamentos antigos, publicações sobre a origem da profissão em Mato Grosso do Sul e qualquer outro material que possa acrescentar na releitura dessa trajetória.

Os interessados em contribuir com a história da medicina em Mato Grosso do Sul com doações de materiais, equipamentos e instrumentos antigos ou com livros e publicações, podem entrar em contato com a secretaria do Museu pelo telefone: 3025-5036 ou pelo e-mail acadmedms@gmail.com.

O museu é aberto ao público e a entrada é gratuita.