Estudantes da EE Maria Constança Barros Machado criam aplicativo que auxilia na organização da escola

Campo Grande (MS) – Saber o cardápio do almoço, as tarefas do dia e o horário das aulas está muito mais fácil para a turma da EE Maria Constança Barros Machado, de Campo Grande. Durante as aulas das disciplinas eletivas propostas pela Escola da Autoria, os estudantes do ensino médio, de período integral, criaram um aplicativo, chamado de “App MCBM” em referência às iniciais da escola, que tem auxiliado na rotina e organização de estudantes e funcionários da escola.

Os professores Marco Aurélio Marques, de Física; e Luiz Henrique Nascimento, de Matemática, são os tutores da disciplina “App MCBM”, que acontece todas as terças-feiras, das 15h20 às 17h e conta com a participação de 38 estudantes do 1º ao 3º ano do ensino médio. “Este tipo de disciplina só é possível pelo modelo da Escola da Autoria, com disciplinas eletivas que permitem que os alunos de diversos anos interajam para desenvolver estudos que não estão na base comum curricular”, afirma Marco.

Para começar, a turma que desenvolveu o aplicativo usou um serviço de internet gratuito e de fácil manuseio, chamado “Fábrica de Aplicativos”, que auxiliou na criação do App MCBM. “A gente escolheu o modelo que iria fazer, decidiu o designer e depois inseriu os conteúdos, cada aluno da sua respectiva sala criou sua turma”, explica o estudante Marcos Paulo Anunciação, do 2º ano C. Neste momento, na segunda fase do projeto, os estudantes estão desenvolvendo o código do aplicativo, utilizando HTML e Java, ferramentas de programação para a web.

Marco salienta que está prevista a criação de um sistema de simulado, com questões online, para que os estudantes criem questões de diferentes disciplinas, de acordo com os conteúdos vistos em sala. Atualmente, o aplicativo permite a consulta dos cardápios de lanches e almoço; horários das aulas; lições de casa; datas de provas e projetos, além de ações especiais, como a aba do Projeto Borboleta, destinado a todas as turmas com o intuito de prevenir o suicídio. “Nesta aba, o aluno responde a um formulário, dizendo como se sente. As informações são enviadas de forma anônima e a intenção é coletar esses dados e repassar para a Coordenação avaliar e tomar as medidas necessárias”, explica o professor.

O estudante Ian Haranaka, do 3º ano B, conta que frequentar as aulas de App MCBM foi decisivo para a escolha da carreira acadêmica. “Eu já gostava de programação e por isso pretendo cursar Ciências da Computação. A disciplina eletiva me deu uma base do que vou estudar mais pra frente e está sendo muito legal”. Já Ingacy Cerqueira, do 2º ano A, está ansiosa pelas novas opções do aplicativo. “Cada aluno pode buscar sua sala, procurar os horários de aula, os cardápios do dia. Ainda não tem a parte de galeria, mas que será colocada no novo aplicativo que estamos desenvolvendo em HTML”, destaca.

A escola ter um aplicativo próprio foi uma surpresa para alguns estudantes, mas a curiosidade e a chance de participar deste desafio foi algo que alguns decidiram encarar. “Eu achei muito interessante o tema por isso decidi fazer e, para a gente que fica aqui nove horas por dia aqui tinha que ter algo diferenciado. No começo foi tudo novo e um pouco difícil, mas agora estou adorando”, diz Ana Paula Bisbo, do 2° ano A.

O aplicativo está disponível na Google Play, sob o nome “App MCBM”. A ferramenta também pode ser acessada pelo link: http://app.vc/app_mcbm, de qualquer plataforma: Windows, Linux, Windowsphone e Iphone.